Cultura

 

2011

Ano Interamericano de la Cultura:
“Nuestras culturas, nuestro futuro”

La Quinta Reunión Interamericana de Ministros y Máximas Autoridades de Cultura se llevará a cabo en Río de Janeiro, Brasil, del 7 al 8 de abril de 2011

Para mayor información, favor visitar los siguientes enlaces:

Página Web de la Sociedad Civil de la OEA

Manual para la Participación de la Sociedad Civil en las Actividades de la OEA

*******

ARTHUR BISPO DO ROSÁRIO:
O ILUSTRE DESCONHECIDO

Centenário de Nascimento e Vinte Anos de Ausência

NEGRO, POBRE, LOUCO

Arthur Bispo do Rosário, nasceu em Japaratuba – SE, no ano de 1909 (ou 1911, não se sabe ao certo), descendente de escravos africanos.
Em 1925, muda-se para o Rio de Janeiro e torna-se marinheiro. Foi campeão brasileiro e sul-americano de boxe na categoria peso leve pela Marinha.
Em seguida, passa a trabalhar na Light, empresa carioca de fornecimento de energia, e como lavador de bonde e borracheiro. Sofre um acidente de trabalho e resolve ajuizar uma ação contra a empresa, ocasião em que conhece o advogado Humberto Leoni, que passa a representá-lo na demanda judicial.
Começa a trabalhar na casa do advogado, como empregado doméstico, fazendo serviços diversos e residindo no local.
Na noite de 22 de dezembro de 1938, procura o patrão motivado por alucinações que lhe diziam que deveria apresentar-se à Igreja da Candelária. Peregrina pelas ruas, dirigindo-se a várias igrejas. Por fim, chega ao Mosteiro de São Bento, onde declara aos monges ser um enviado de Deus, incumbido da tarefa de julgar os vivos e os mortos.
É preso como indigente e demente, sendo conduzido ao Hospital dos Alienados, um hospício situado na Praia Vermelha. Um mês depois, é transferido para a Colônia Juliano Moreira, no bairro de Jacarepaguá, onde permaneceria por cerca de cinqüenta anos.
Foi diagnosticado como portador de esquizofrenia paranóide - que é um dos quatro tipos principais dessa patologia -, caracterizada pela ocorrência de visões, alucinações, sentimentos de perseguição e em que é comum o doente escutar vozes (FRANÇA, 2007).
A partir desse período, começa a produzir seu trabalho artístico, motivado por um pedido de Deus para que reconstruísse o universo e registrasse a passagem divina pela terra.
Aí, começa a história de Bispo do Rosário como artista plástico.
Estima-se que elaborou cerca de 1.000 peças, que permaneceram como propriedade da Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro, hoje desativada comoo instituição manicomial e transformada no Museu Arthur Bispo do Rosário.
Bispo faleceu em 1989.
Veja obras do artista aqui

REFERÊNCIAS
* FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal. Rio de Janeiro: Guanabara, 2007.