2009

 

2008


Sextas-feiras - Cine-Oficina
Espaço Cultural Tocando em Você (ECTV)
Linguagem, Identidade e Memória no Documentário Latino Americano

Através de 3 encontros, Phillip Johnston, documentarista e Rocío Salazar, produtora cultural, discutem com o público o olhar latino americano na produção independente de documentários. A idéia é fazer a aproximação do público carioca com a produção feita em países de fala hispânica. Além de trechos de filmes importantes de diversos países da América Latina, serão discutidos os temas da linguagem, identidade e memória, assim como estratégias de realização.

15/08 Now – Direção: Santiago Álvarez (Cuba)
Documentário sobre a luta contra a discriminação racial nos Estados Unidos, tendo como tema musical de fundo, a canção "Now".

Son de los Diablos (trecho) – Direção: Phillip Johnston (Brasil-Peru)
O carnaval negro Son de los Diablos existe há mais de 300 anos, mas quase foi extinto. Após dezesseis anos ausente, regressou às ruas de Lima em 2004, por ocasião dos festejos dos 150 anos da abolição da escravatura no Peru.

22/08 - Movimento Afro-Cultural – Direção: Grupo Alavío (Argentina)
Grupo de afro-argentinos que vivem na periferia de Buenos Aires, narram suas vivências e o uso do tambor como meio para resgatar suas origens.

Atajo de Negritos (trecho) – Direção: Phillip Johnston (Brasil-Peru
Documentário gravado em El Carmen (Chincha - Peru) que registra a tradição religiosa onde afro-descendentes realizam um ritual de sapateado em homenagem ao Menino Jesus.

29/08 Meu nome é Brasil – Direção: Jorge Ferreira (Brasil)
Catador de lixo encontra depoimento do cineasta Glauber Rocha, filmado nos anos 70, e revende em feira de reciclagem.

Uma Noite com a Familia Zevallos – Direção: Phillip Johnston (Brasil-Peru)
Em "Villa El Salvador", na periferia de Lima, a Familia Zevallos transmite tradições afro-descendentes para as novas gerações, criando uma possibilidade de desenvolvimento artistico e profissional, além de afirmar sua identidade cultural.

Entrada Franca
Sextas-Feiras (15, 22 e 29 de agosto)
Horário: De 19:00 às 20:30 horas
Local: Espaço Cultural Tiocando em Você
Endereço: Rua General Roca, 518 – Saens Peña (Estação Saens Peña do Metrô, saída pela Rua Gen. Roca)
Tel: 2567-4378

 

 


 


 

Como parte das comemorações  do
XX Aniversário da Batalha de Cuito Cuanavale
a TV CIDADE LIVRE
O canal comunitário de Brasília (Canal 8 da NET)
estará transmitindo um documentário produzido pela Embaixada de Angola no Brasil
"Um povo, uma luta, o nascimento de uma grande nação"
Dia 01 de abril, terça-feira, às 17h10
Você pode assistir também via internet on-line no: http://www.tvcomunitariadf.com.br/tvcidadelivredf/

*****

Cinema AFRICANO NO CENTRO CULTURAL

NOVO OLHAR DO CINEMA AFRICANO FICÇÃO E DOCUMENTÁRIO
SALA LIMA BARRETO / DE 22/1 A 3/2 / 16 ANOS

Co-realização: Consulado Geral da França em São Paulo e Cinemateca da Embaixada da França no Rio de Janeiro.
Mostra que apresenta parte do cinema contemporâneo africano.
As projeções têm suporte em DVD.

TASUMA, O FOGO

(Burkina Faso/França, 2003, 90 min). Dir.: Kollo Daniel Sanou. Com Aï Keita, Khalil Raoul Besani, Mamadou Zerbo, Noufou Ouedraogo, Safiatou Sanou e outros.
Tasuma é um antigo atirador africano que lutou com o exército francês na Indochina e na Argélia. Enquanto aguarda receber uma pensão, envolve-se em negócios que poderão não se concretizar sem a vinda do dinheiro.
| Dia 22, 16h. Dia 31, 20h

FÉRIAS EM CASA

(Camarões/França, 2000, 75 min). Dir.: Jean-Marie Teno.
No verão de 1998, homem volta à sua terra de infância, nos Camarões. Durante o trajeto, faz uma análise crítica sobre a situação de seu país e o fascínio provocado pela modernidade européia.
| Dia 22, 18h

O PREÇO DO PERDÃO
(França/Senegal, 2001, 90 min). Dir.: Mansour Sora Wade. Com Alioune Ndiaye, Dienaba Niang, Gora Seck, Hubert Koundé e outros.
Ao ter de substituir seu velho pai nas funções religiosas de sua aldeia, jovem desperta a inveja do amigo de infância.
| Dia 22, 20h

CONTOS CRUÉIS DA GUERRA

(França/Congo/Mauritânia, 2002, 51 min). Dir.: Ibea Atondi e Karim Miské.
Através da narração de uma volta ao Congo-Brazzaville, seu país natal, Ibea Atondi, fascinada com a loucura assassina de Mignon, um miliciano destruído pelo álcool e pela droga, procura descobrir os mecanismos que o levaram a perder toda a dignidade humana.
| Dia 23, 16h. Dia 29, 18h

HOUSE OF LOVE

(França/África do Sul/Namíbia, 2001, 26 min). Dir.: Cecil Moller.
Documentário que trata da questão da Aids por meio dos depoimentos de prostitutas de uma cidade portuária da Namíbia.
POEIRA URBANA
(França/Congo/Senegal, 2001, 52 min). Dir.: Moussa Touré.
Acompanhando o dia-a-dia de crianças moradoras de rua, o cineasta faz uma análise da situação sobre as famílias carentes do Congo.
| Exibições seguidas. Dia 23, 18h

MADAME BROUETTE

(Canadá/França/Senegal, 2002, 104 min). Dir.: Moussa Sene Absa. Com Aboubacar Sadick Bâ, Akéla Sagna, Kadiatou Sy, Ndèye Seneba Seck, Ousseynou Diop e outros.
Mulher assassina o marido a tiros. O ato não impede que as vizinhas continuem a admirá-la por seu histórico de mulher divorciada, mãe de uma menina, que sustenta a família vendendo frutas e legumes.
| Dia 23, 20h

RUANDA IN MEMORIAM

(França/Senegal, 2003, 68 min). Dir.: Samba Félix.
Massacre ocorrido entre abril e julho de 1994 faz um milhão de vítimas entre os Tutsi e Hutus. Em maio de 2000, durante o lançamento de uma série de obras inspiradas nessa atrocidade, escritores e artistas se reúnem em Ruanda para discutir os rastros do genocídio.
| Dia 24, 16h. Dia 30, 18h

WA N'WINA

(França/África do Sul, 2001, 52 min). Dir.: Dumisani Phakathi.
O diretor conversa com amigos de infância, moradores de Soweto, para discutir as perspectivas dos jovens em um local ameaçado pela Aids.
| Dia 24, 18h

EU E MEU BRANCO

(França/Burkina Faso/Suécia, 2003, 90 min). Dir.: Pierre Yameogo. Com Anne Roussel, Bruno Predebon, Micheline Compaoré, Pierre Loup Rajot, Ray Ainsi Lema e outros.
Trabalhando em um estacionamento, dois vigias noturnos acompanham as idas e vindas dos freqüentadores, entre prostitutas e traficantes. Um embrulho abandonado provoca uma reviravolta na rotina dos dois.
| Dias 24 e 30, 20h

XALIMA, LA PLUME

(França/Senegal, 2003, 51 min). Dir.: Ousmane William M´Baye.
Precursor da música folk senegalesa, Seydina Insa Wade ficou famoso nos anos 70. Nos anos 80, mudou-se para a França, onde passou a apresentar-se em clubes de jazz e, aos poucos, foi sendo esquecido por seus conterrâneos. Decide, então, retornar a seu país para lançar seus trabalhos.
| Dia 26, 16h. Dia 31, 18h

MEMÓRIA ENTRE DUAS MARGENS

(França/Burkina Faso, 2002, 90 min). Dir.: Frédéric Savoye e Wolimité Sié Palenfo.
Os diretores relembram a história da colonização francesa na região Lobi, a sudoeste de Burkina Faso. Lá, as aldeias e famílias ainda estão marcadas pelas lembranças datadas desde a chegada dos primeiros brancos no país até os dias de hoje.
| Dia 26, 18h

NHA FALA

(França/Guiné Bissau/Luxemburgo/Portugal, 2002, 90 min). Dir.: Flora Gomes. Com Ângelo Torres, Bia Gomes, Danielle Evenou e Fatou Ndiaye.
Enquanto mora na França, moça de Cabo Verde desafia a tradição de sua família que proíbe os membros de cantar. Incentivada pelo namorado francês decide gravar um disco.
| Dia 26, 20h

EN ATTENDANT LE BONHEUR

(França/Mauritânia, 2002, 95 min). Dir.: Abderrahmane Sissako. Com Fatimatou Mint Ahmedou, Khatra Ould Abdel Kader, Makanfing Dabo e outros.
Menino aguarda seu embarque para a Europa em uma cidade cujo dialeto não compreende. Por meio da observação, tenta decifrar os personagens que o rodeiam, como a bela mulher que deseja seduzi-lo e o ex-pescador que trabalha como eletricista.
| Dia 27, 16h. Dia 29, 20h
SI-GUERIKI, RAINHA-MÃE

(França/Alemanha/Benim, 2002, 62 min). Dir.: Idrissou Mora Kpai.
Depois de dez anos de ausência, Mora Kpai volta a seu país, Benim, para rever sua família. Nessa viagem, descobre uma nova faceta de sua mãe.
| Dia 27, 18h. Dia 31, 16h

RASTROS, PEGADAS DE MULHER

(França/Bélgica/Burkina Faso/Senegal, 2003, 52 min). Dir.: Katy Léna Ndiaye.
Documentário sobre a técnica ancestral das pinturas murais das mulheres kassenas de Burkina Faso, perto da fronteira com Gana, famosas pela beleza de traçado e harmonia das cores.
ABOUNA
(França, 2002, 81min). Dir.: Mahamat-Saleh Haroun. Com Ahidjo Mahamat Moussa, Garba issa, Hamza Moctar Aguid, Koulsy Lamko, Mounira Khalil, Zara Haroun e outros.
Tahir, de 15 anos, e Amine, de 8, descobrem, ao acordar, que seu pai partiu misteriosamente. Decidem sair pela cidade em sua busca.
| Exibições seguidas. Dia 27, 20h

ZIMBABWE CONTAGEM REGRESSIVA

(França/Zimbabwe, 2003, 55 min). Dir.: Michael Raeburn.
O diretor retoma os acontecimentos de 2000 que mergulharam o Zimbabwe no caos social e na falência econômica. Engajado na luta pela emancipação da Rodésia antes da independência, ao lado de Robert Mugabe, o cineasta refaz o percurso traçado por aquele que venceu o britânico Ian Smith e impôs-se como presidente, depois de 15 anos de guerrilha.
| Dia 29, 16h

HOUSE OF LOVE
ABOUNA

| Veja sinopses anteriores. Exibições seguidas. Dia 30, 16h

Preço: Grátis
Centro Cultural São Paulo - R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, Tel: 3383-3400, ramal 221

 

 

2007

2006

Documentário

NEGROS EM MOVIMENTO

Lázaro Ramos - Gideon Rosa - Ruth de Souza - Jorge Washington - Léa Garcia - Luis Pepeu - Fábio Vidal - Angelo Flavio - João Lima - Carmem Luz - Gustavo Mello - Débora Santiago - Rejane Maia e muitos outros artistas negros expressam aqui o seu direito à visibilidade, através do teatro .
Lançamento 7 de novembro, terça-feira, às 20:30h
Cinema do Museu, Corredor da Vitória, Salvador-Ba
Direção: Patrícia Freitas
Assistência de Direção: Luis Carlos Alencar
Produção: Karina Rabinovitz, Claudia Ebert
Assistência de Produção: Dirlene Pimenta
Fotografia: Luis Carlos Alencar, Kau Rocha, Moisés Alcuna
Edição: Sérgio Brito Projeto
Gráfico: Patrícia Simplício
Captação: Sandro Correia


11ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico
Um Olhar sobre os Quilombos no Brasil
9/11/2006 - 15:00 hs
Local: Memorial Getúlio Vargas, s/nº - Glória - RJ

SINOPSE
O documentário percorre cinco comunidades remanescentes de quilombos no Brasil: Gurutuba (MG), Mocambo (SE), Barra e Bananal (BA), Ivaporunduva (SP) e comunidades do Alto Trombetas (PA) registrando aspectos históricos e contemporâneos relacionados a questões territoriais, identidades culturais, lutas coletivas e conquistas de direitos. No cruzamento entre nossos olhares e os olhares dos próprios quilombolas, evidencia-se a diversidade de cada experiência e os elementos comuns entre elas.
Ficha Técnica:
Realização:
Casa de Cultura Afro-Brasileira de Minas Gerais
Presidente: Erisvaldo Pereira dos Santos
Direção: Cida Reis e Júnia Torres
Direção de Fotografia: Cleumo Segond
Som direto: Pedro Aspahan
Edição: Nélio Costa
Produção: Shirly Ferreira
Duração: 110 min.
Ano de realização: 2006
PATROCÍNIO: SEPPIR/Secretaria de Políticas Para Promoção da Igualdade Racial/Governo Federal


ASSOCIAÇÃO GRÃOS DE LUZ - GRIÔ: A TRADIÇÃO VIVA
Lençóis, Bahia
Através do programa Griô, a Associação Grãos de Luz criou um currículo inovador no qual os professores incorporaram a cultura e história afro-brasileiras nas salas de aula das escolas municipais da região. Na África Oriental, os griôs narravam lendas para preservar a história e as tradições e educar o público. No Brasil, a herança africana freqüentemente é deixada de fora do currículo e livros escolares. Em Lençóis, particularmente, a Associação Grãos de Luz notou um hiato cultural entre o que se ensinava nas escolas públicas e as comunidades onde elas estão localizadas.
Lençóis está localizada dentro do espetacular Parque Nacional da Chapada Diamantina. O projeto Griô reconhece no seu entorno natural às possibilidades econômicas de geração de renda que o ecoturismo pode proporcionar e estimula pesquisas nesse sentido. A herança afro-brasileira é estudada por professores e estudantes por meio da história oral, música, dança e literatura popular.
O financiamento da Brazil Foundation será usado para que o projeto consiga inserir seu trabalho no currículo das escolas públicas da região. Trinta educadores vão participar do treinamento e outros 68 professores, incluindo a Secretária de Educação, já estão participando das oficinas para reformular o currículo escolar.
Além disso, as apresentações do Velho Griô atingem mais de 700 crianças nas zonas urbana e rural. O envolvimento dos pais também é encorajador. Novos griôs estão se unindo ao programa, com educadores e alunos ajudando a espalhar uma melhor compreensão da cultura local.

2004
© Vista a minha pele

vídeo ficcional-educativo
Duração: 15 minutos
Roteiro: Joel Zito Araújo & Dandara
Sinopse:
"VISTA A MINHA PELE" é uma divertida paródia da realidade brasileira, para servir de material básico para discussão sobre racismo e preconceito em sala-de-aula. Nesta história invertida, os negros são a classe dominante e os brancos foram escravizados.
Maria, é uma menina branca pobre, que estuda num colégio particular graças à bolsa-de-estudos que tem pelo fato de sua mãe ser faxineira nesta escola. A maioria de seus colegas a hostilizam, por sua cor e por sua condição social, com exceção de sua amiga Luana, filha de um diplomata que, por ter morado em países pobres, possui uma visão mais abrangente da realidade. Maria quer ser "Miss Festa Junina" da escola, mas isso requer um esforço enorme, que vai desde a predominância da supremacia racial negra (a mídia só apresenta modelos negros como sinônimo de beleza), a resistência de seus pais, a aversão dos colegas e a dificuldade em vender os bilhetes para seus conhecidos, em sua maioria muito pobres. Maria tem em Luana uma forte aliada e as duas vão se envolver numa série de aventuras para alcançar seus objetivos.
Vencer ou não o Concurso não é o principal foco do vídeo, mas sim a disposição de Maria em enfrentar essa situação. Ao final ela descobre que, quanto mais confia em si mesma, mais possibilidades ela tinha de convencer outros de sua chance de vencer.
"VISTA A MINHA PELE" pretende colaborar com a discussão sobre discriminação no Brasil através de um produto atraente, com linguagem ágil e atores conhecidos do público alvo - adolescentes na faixa de 12 a 16 anos. O vídeo será distribuído para 2.000 escolas públicas do país, acompanhado de uma apostila de orientação ao professor para sua utilização em sala-de-aula, elaborada por educadores e psicólogos.
Onde encontrar:
Sede em São Paulo:CEERT - Centro de Estudos e Relações de Trabalho e Desigualdades
Rua Duarte de Azevedo, 737 - Santana
Telefone/Fax: 6950 3684 - ceert@uol.com.br

2003
© Alguém falou de racismo?
Rio de Janeiro, RJ - 2003 NTSC 20 minutos Direção: CECIP/Fundação Cultural Palmares-MinC. Campanha Direitos são para valer! Ação contra a discriminação racial.
Uma discussão em sala de aula revela a existência disfarçada do preconceito "sem querer", mas que fere do mesmo jeito. A partir daí, um grupo de jovens começa a descobrir as origens de um racismo do qual eles são vítimas e também, sem perceber, os que o usam para ferir.
Uma história para ser discutida em sala de aula e usada como elemento importante em uma caminhada na direção dos direitos que saem do papel para se tornarem realidade. Porque, como dita a campanha da qual esse vídeo é peça, direitos são para valer.
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br

2002
©
História dos Quilombos do Estado do Rio de Janeiro. A verdade que a História não conta
Rio de Janeiro. Direção Geral: Antonio Pitanga. Direção Executiva: Januário Garcia.
Este vídeo traz um pouco da verdadeira história dos descendentes de escravos africanos contada por eles mesmo. É uma grande colagem de depoimentos que nos mostra quem são estas pessoas e como vivem os remanescentes das 11 comunidades quilombolas certificadas pela Fundação Cultural Palmares no estado. Note-se que apenas duas delas possuem título de propriedade definitiva da terra. Pela forma despojada com que foi produzido, retratando sem retorques a realidade, este documentário certamente irá constituir referência indispensável sobre a formação da comundidade negra em nosso país.
Onde encontrar?
Fundação Cultural Palmares - www.palmares.gov.br


© El Video de Humberto Brown
La Coalición Latinoamericana Contra el Racismo invitó a Humberto Brown a hablar en Toronto en 2002. Humberto Brown es un militante de derechos humanos que habló elocuentemente sobre el racismo y la discriminación histórica de las personas afro-latinas. El Sr. Brown nos permitió grabar su presentación y generosamente nos ha dado permiso para vender este video por $10.00 para recaudar fondos para nuestro trabajo anti-racista. En breve, usted podrá ver unos minutos de este video aquí. Para obtener este video por favor contáctenos a: lacar@tao.ca
Onde encontrar?
http://www.tao.ca/~lacar/videosylibros.html

 

2001
© Conseguiste tua emancipação, mas não tua liberdade
As mulheres conseguiram se libertar da opressão patriarcal? O que representa o dia 08 de março? Conseguir igualdade é colocar mulheres no poder?
Estas e outras questões são colocadas no vídeo “Conseguiste tua emancipação, mas não tua liberdade”, do Coletivo Insubmissas, realizado em 2001. Anarcopunks, profissionais do sexo, rappers e estudantes discutem que emancipação é essa que as mulheres conseguiram ao longo destes últimos anos e que mudanças ocorreram em suas vidas. Será que somos livres?
O vídeo tem a duração de 18 minutos, em formato DVD, e é uma ótima fonte para debates nas seguintes temáticas: gênero, feminismo e anarcofeminismo.
Onde encontrar? Centro de Cultura Social de João Pessoa. Caixa postal: 255 – CEP: 58001-970 – João Pessoa – PB –Brasil. A renda da venda deste vídeo será revertida para o CCS-JP.

2000
© Discriminação não é legal
Rio de Janeiro, RJ · 2000 · NTSC · 20 minutos· Documentário · Direção: Daniel Caetano
O vídeo apresenta três esquetes, representados por alunos e educadores da rede pública de ensino, cujo conteúdo é comentado por especialistas em educação e representantes de instituições do movimento negro. A escola não é a única responsável pela consolidação de estigmas, mas pode e deve evitar a expansão da discriminação e do preconceito. Para isso é necessário abrir o diálogo sobre a questão nas escolas e apoiar a formação continuada dos educadores com a produção de materiais que tragam subsídios para a discussão em torno da questão racial.
Código: CN 05 VP · Preço R$ 20,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_culturanegra.htm


1998
© Encontro de Mulheres Negras
Brasília, DF . 1998 . S-VHS 20 minutos. Documentário. Produção: Fundação Cultural Palmares/MinC - Lourdes Vitória Pinto. Direção e roteiro: Delvair Montagner & Elza Ramalho.
O documentário mostra o encontro de lideranças negras, na I Jornada Cultural Lélia Gonzalez, em São Luís, Maranhão, em novembro de 1997. No encontro, as mulheres negras expressam sua luta, dor, desencontro, força, poesia, esperança e propõem políticas públicas para visibilizar sua participação no contexto social, buscando a igualdade de oportunidades.
Onde encontrar?
http://www.palmares.gov.br


1995
© Pilé Vídeo
Documentário sobre uma comunidade negra localizada no agreste de Pernambuco, onde todos os habitantes pertencem a duas famílias e onde o tempo parece que parou.
Produção: Auçaba 95
Direção: Flávia Ferraz Duração: 10'


1994
© Funk Rio
Rio de Janeiro, RJ · 1994 · NTSC · 46'00" · Documentário · Produção: CECIP, Canal+ e Point du Jour · Direção: Sérgio Goldenberg
O documentário mostra, através de quatro jovens que moram no subúrbio do Rio de Janeiro, o universo do funk carioca, suas ligações com a marginalidade, a música e a dança desta tribo que está criando no isolamento um novo código estético e cultural. Alguns observadores do movimento funk acreditam que ele seja equivalente - em crescimento numérico, repressão policial e localização - ao maior fenômeno cultural carioca, hoje internacionalmente conhecido: o carnaval. Prêmio de Melhor Vídeo, Melhor Edição e Menção Honrosa no 18º Guarnicê de Cine-Vídeo. Código: VU 03 VP (português) · VU 03 VI (leg. em inglês) · Preço R$ 35,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_vidaurbana.htm



1993
© Rap - Ritmo e poesia
Rio de Janeiro, RJ · 1993 · NTSC · 11'46" · Documentário · Produção: CECIP/TV Maxambomba · Direção: Valter Filé
Dois grupos mostram o rap como música de protesto diante da realidade da Baixada e a partir de suas especificidades.
Código: CN 03 VP · Preço R$ 25,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_culturanegra.htm

© Profissão: doméstica
Rio de Janeiro, RJ · 1993 · NTSC · 49'00"· Documentário · Direção: Sérgio Goldenberg
Apresenta a vida de sete empregadas domésticas no Rio de Janeiro - a mais nova tem 14 anos e a mais velha 72 - mostrando também quem são os seus patrões. Histórias de vida, medos, visões de mundo e ambições dessas mulheres. Premiado com o "South-North Award" no Festival Nord-Sud (Genebra, Suíça) pela Agência Canadense de Desenvolvimento Internacional, Hull, e Rádio Quebec. Código: GE 08 VP · GE 08 VI (leg. em inglês) · Preço R$ 35,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_genero.htm


1991
© Alinhavando uma vida melhor
Nova Iguaçu, RJ · 1991 · NTSC · 11'39" · Documentário · Produção: CECIP/TV Maxambomba · Direção: Noni Carvalho Documentário sobre a cooperativa de costura do bairro Rancho Fundo (Nova Iguaçu). A identidade feminina, o trabalho junto com os filhos e o crescimento pessoal são alguns dos temas abordados pelas mulheres. Disponível também com legendas em francês.
Código: GE 02 VP · GE 02 VF (leg. em francês)· Preço R$ 25,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_genero.htm

© As meninas do Rio
Rio de Janeiro, RJ · 1991 · NTSC · 50'00" · Reportagem · Direção: Sérgio Goldenberg e Breno Silveira
Janeiro, RJ · 1991 · NTSC · 50'00" · Reportagem · Direção: Sérgio Goldenberg e Breno Silveira Elas têm entre 8 e 18 anos e vivem nas ruas do Rio de Janeiro, numa situação de pobreza absoluta. Sem contato com as famílias, tentam ganhar seu sustento de várias maneiras. Este vídeo documenta as experiências de algumas meninas, procurando reconstituir suas histórias de vida. Foi realizado a partir do I Encontro de Meninas, em agosto de 1990, Duque de Caxias. Selecionado para participar do Festival Internacional de TV Pública (INPUT), Irlanda/1991. Vencedor do Tatu de Bronze-Vídeo Revelação na XVIII Jornada do Cinema Nacional da Bahia/1991. Melhor documentário no V Encontro de Cinema da América Latina - Toulouse/1993. Disponível também em inglês.
Código: GE 03 VP · GE 03 VI (leg. em inglês) · Preço R$ 35,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_genero.htm


1990
© Aganju
Nova Iguaçu, RJ · 1990 · NTSC · 6'00" · Reportagem · Produção: CECIP/TV Maxambomba · Direção: Luiz Augusto Tigu
Reportagem sobre o grupo afro "Aganju", de Queimados (Nova Iguaçu), que busca preservar e divulgar a tradição afro-brasileira através da dança. O grupo conta os preconceitos enfrentados e apresenta a coreografia chamada "Os orixás".
Código: CN 01 VP · Preço R$ 25,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_culturanegra.htm

© Xamego
Nova Iguaçu, RJ · 1990 · NTSC · 4'24" · Documentário · Produção: CECIP/TV Maxambomba · Direção: Rogério Moreira Ex-escravo de Iguaçu conta "causos" de assombração.
Código: CN 04 VP · Preço R$ 25,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_culturanegra.htm


1988

© Fala Zumbi
Rio de Janeiro, RJ · 1988 · NTSC · 4'15" · Reportagem · Direção: Claudius Ceccon
Reportagem sobre a passeata convocada pelo Movimento Negro festejando o Centenário da Abolição.
A manifestação aconteceu no Centro do Rio de Janeiro, dia 13 de maio de 1988, para protestar contra a discriminação do negro na sociedade brasileira.
Código: CN 02 VP · Preço R$ 25,00
Onde encontrar?
http://www.cecip.com.br/v_culturanegra.htm

Mostra intinerante negro
Fita com os programas:
1 - O diamante negro
Como estão os negros na Nova República? A riqueza das culturas e a repressão que as cercam.
Produção: Enugbarijó Comunicações
Direção: VIK/Adalto/RJ/1985/VHS/Reportagem Duração: 17'

2 -Touche pas a mon ponte
Vídeoclipe documentário anti-racista inspirado na canção "Touche pas a mon ponte", de Gilberto Gil.
Produção: Henri Gervaiseau Direção: Henri Gervaiseau, Elizabeth Formaggini, Solange Padilha e Flavio erreira/RJ/1988/Umatic/Clip (VHS - NTSC) Duração: 7'

3 -Se o rei Zulu já não pode andar nú...
Documentário político-musical inspirado pela visita de Desmond Tutu ao Brasil e "costurado" por músicas de Gilberto Gil, Leci Brandão, Sandra de Sá e Dona Ivone Lara.
Produção: Rita Moreira Produções Direção: Rita Moreira e M. Lucia Silva/SP/1987/VHS/Documentário Duração: 15'
Onde encontrar?
http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm


Sem informação de data
© Candomblé : Momentos de iniciação
Candomblé é uma celebração religiosa de origem africana. Esse vídeo mostra alguns momentos dos passos de uma iniciação religiosa, onde cada batida do atabaque, cada gesto, ação, dança, e comida, tem um significado. O programa mostra essa iniciação sem uma narração formal. É uma mistura de imagem e som que envolve a audiência através dos sentidos. Duração: 10'
Onde encontrar?
http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

© Nascentes negras da música brasileira
Tem como objetivo a releitura da cultura brasileira a partir das origens das diferentes nações africanas e suas influências em nossas manifestações musicais:
1. Matição - comunicação iluminada / MG
2. Batuque no Quilombo - MA
3. Moçambique - a saga da rainha ginga / RS
Onde encontrar?
http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

© Navio negreiro
Célio é um instrutor de capoeira e dança afro do SEMEAR em Bangu/RJ. Célio tem uma maneira especial de ensinar. O grupo aprende a dança-teatro "Navio Negreiro" e vivência nos sofrimentos dos escravos a sua luta por sobrevivência nas ruas. O vídeo acompanha o progresso do grupo desde os ensaios escolares até sua primeira encenação para o público e aparição no Fantástico da TV Globo.
Duração: 28'
Onde encontrar?

http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

© Pode crê
Este vídeo é o resultado da primeira fase do Projeto Rappers, criado pelo grupo Geledés. Nele, nove grupos de Rap da periferia de SP mostram porque o Rap chegou para ocupar o seu espaço não só como música, mas também como denúncia com relação às condições de vida que`a sociedade impõe aos jovens, particularmente aos jovens negros, na sociedade brasileira. Direção: Jacira Melo Duração: 30'
Onde encontrar?
http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

© Quilombolas
Direção: Tânia Quaresma e Valéria Tavares. Fundação Bem´Te-Vi

© Raça negra
Produção: Século Vídeo/VHS - NTSC Duração: 23'
A situação dos negros escravos e as formas de luta contra a escravidão. O trabalho moderno e a escravidão. As diferentes formas de discriminação. Alternativas para a questão racial.
Onde encontrar?
http://www.ibase.br/pubibase/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm